Las Cafeteras: o coletivo chicano com uma mensagem política

Las-Cafeteras-Website

Las Cafeteras é um coletivo chicano formado por 4 homens e 3 mulheres nascidos em Los Angeles, com (alguma) descendência mexicana. Eles são o  resultado da salada cultural existente em East Los Angeles, região da cidade cuja população é basicamente latina (mais de 97%) e considerada o berço da música chicana nos Estados Unidos. Los Lobos, por exemplo, também surgiu aí.

O som que a banda faz é uma espécie de versão moderna, quase roqueira, quase pop, do chamado son jarocho, gênero musical folclórico do Estado de Veracruz, no México, que tem como base instrumentos de corda como a jarana (lembra muito um ukelelê). Aliás, eles aprenderam a tocar esses instrumentos regionais em aulas em East LA.

“Respeitamos o son jarocho, mas não mantivemos as letras. Acrescentamos temas de justiça social e a nossa realidade. Queremos derrubar a imagem que os chicanos têm, de que no México não nos consideram mexicanos e de que os americanos não nos aceitam porque dizem que somos mexicanos.”  José Cano para o La Opinión.

La Bamba Rebelde

 

Você lembra do La Bamba, a canção tradicional mexicana que primeiro explodiu com a versão de Ritchie Valens (em 1958) e depois com o remake da banda Los Lobos, em 1987? Las Cafeteras fez uma versão contemporânea e de letra mais politizada: La Bamba Rebelde. A música, que está no primeiro disco do grupo, It’s Time (2012), tem o espírito do grupo: celebrar a vida, mas a também passar mensagens políticas. Fez tanto sucesso que entrou na trilha sonora da novela Bajo el Mismo Cielo, um das mais vistas pela comunidade latina em Los Angeles.

If I was president, canção que integra Taste Like L.A, o mais recente álbum da banda (2017), é outro exemplo da politização de suas letras. E que cai como uma luva em tempos em que o presidente Donald Trump não para de alardear a construção de um muro entre Estados Unidos e México.

“O presidente diz que quer construir um muro. Las Cafeteras querem construir pontes.” Denise Carlos  para o KQED.

Você ouve If I was President e La Bamba Rebelde e Luna Lovers, ambas do álbum de estreia da turma.

 

 

 

 

 

 

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s