O folclore eletrônico de Martín Bruhn

martin-Bruhn

O argentino Martín Bruhn faz um som eletrônico dos mais originais e bacanas. Ele mistura ritmos da tradicional música folclórica latino-americana com novas tecnologias. Isso, diz, lhe custou muito trabalho, pois os ritmos folclóricos estão em outra métrica e a música eletrônica convencional não “encaixava”.

Nascido em Córdoba, Martín começou a aprender bateria e percussão folclórica ainda criança. Vivendo desde 2001 em Madri (Espanha), o músico trabalhou com gente como Lila Downs, Jorge Drextler, Julieta Venegas e Natalia Lafourcade. Em 2011, lançou o projeto solo Criollo, álbum de estreia gravado em diferentes partes do mundo. Em 2015, decidiu dar uma mexidinha a mais no disco e lançou Remixes Criollos. Convidou DJs do México, Itália, Argentina, Espanha, entre outros, a fazer uma releitura do material.

“Criollo é o filho de imigrantes que nasce no local de destino dos pais. Também é uma palavra, que, na Argentina, é associada ao tradicional e ao campo. Em Córdoba, criollo é um pãozinho consumido no café da manhã e é a única coisa que não consegui substituir. Nos lugares em que vivi (Espanha e EUA) não encontrei nada que pudesse substitui-lo. Criollo também é um jogo de palavras. Minha família é do campo, mas também é gente que chegou ali e se mesclou aos que viviam no local.”

Você fica com duas músicas dele: uma, feita em parceria com o também argentino Lisandro Aristimuño (dono do selo Viento Azul, que lançou Criollo), e outra, está no disco Remixes Criollos.

 

 

 

 

 

 

 

Advertisements

2 thoughts on “O folclore eletrônico de Martín Bruhn

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s